sábado, 1 de dezembro de 2012

Balduíno IV de Jerusalém


Me deu vontade de contar-vos,caros leitores,uma história.A história de um jovem rei cristão da Idade Média,que apesar de ser portador de lepra,levou até o fim a tarefa de governar bem o seu povo.Os meus leitores,na maioria protestantes, podem estranhar algumas coisas,afinal esse rei era católico romano.Mas creio que sua história irá edificá-los em alguma coisa.Eis a história de Balduíno IV.

Contexto histórico:

No final do século XI,os turcos representavam um grande perigo para a Cristandade.Já haviam tomado grande parte do Império Bizantino,e traziam grandes sofrimentos e morte aos cristãos que peregrinavam para Jerusalém.O papa Urbano convocou então uma "guerra santa".Vários nobres europeus atenderam o chamado.Essas guerras que se seguiram foram chamadas de Cruzadas.O nosso personagem viveu entre a II e a III Cruzada,período em que os cristãos dominaram a terra santa,e tinham como principal estado lá o Reino Latino de Jerusalém.

Nascimento

Não se sabe exatamente quando Balduíno nasceu.Estima-se que tenha sido em 1160.Era filho do rei Amalrico e Inês de Courtenay.Apesar da posterior anulação do casamento de seus pais,ele e sua irmã Sibila foram considerados como herdeiros legítimos do trono.

Infância

Balduino viveu na corte de Jerusalém,tendo pouco contato com a mãe.Aos nove anos,sua educação foi confiada ao arcebispo Guilherme de Tiro.Era descrito como um menino belo, inteligente e de ótima memória.Ficou conhecido como um rei culto e inteligente

Doença

Certa vez,Balduíno brincava com amigos.Uns beliscavam os outros.No entanto,algo era estranho.Todos gritavam quando eram beliscados,menos ele.Perceberam que havia algo errado com o jovem príncipe.Na puberdade,o diagnóstico foi dado: era a terrível lepra.Seu pai contratou vários médicos,inclusive mulçumanos.Balduino mergulhou no rio Jordão,para ser curado a exemplo de Naamã.Mas nada adiantou.Começava então seu lento martírio.Ficaria conhecido na história como "o rei leproso".

Administração e guerras

Amalrico morreu em 1174.Balduíno foi aclamado rei.Teve como regente Miles de Plancy,e posteriormente Raimundo III de Trípoli.O novo rei entrou para a ordem dos Cavaleiros de São Lázaro de Jerusalém,da qual faziam parte todos os cavaleiros que padeciam de lepra.
Aos 15 anos,o rei leproso teve um grande desafio.os mulçumanos assediaram Tripoli.Junto com Raimundo,Balduino conseguiu vencê-los.Durante o resto de sua vida,ele assegurou a preservação dos estados cristãos frente á ameaça islâmica.
Balduino tentou acabar com o poderio mulçimano.Para isso,aliou-se ao imperador bizantino Manuel Comeno.Quem deveria comandar as tropas era o conde Felipe da Alsácia,que se encontrava em Jerusalém.Mas Felipe recusou-se.Um problema era claro entre os cruzados:a desunião e a falta de interesse na causa dos cristãos.Isso levaria,depois de um tempo,à perda dos territórios cristãos na Terra Santa para os seguidores de Maomé.
Balduíno,apesar da doença que o consumia,foi um rei cheio de dignidade e consciência do dever cristão.O reino fora confiado a ele por Deus(Rm 13.1),e ele deveria governá-lo com justiça.Assim,resignado,foi um monarca sublime e sábio.

A vitória do Santo Lenho

Em 1177,aproveitando que os cristãos estavam ocupados tentando tomar Hamas,o famoso Saladino,rei dos mulçumanos,empreendeu uma campanha para tomar a desguarnecida Jerusalém.O rei leproso conseguiu reunir apenas 500 cavaleiros e poucos milhares de homens a pé.E partiu pára enfrentar o exército islâmico,várias vezes maior.Reunido seu exército,Balduino prostrou-se em terra e orou com lágrimas para que Deus tivesse misericórdia dos cristãos e lhes concedesse vitória.Segundo alguns,ele teve uma visão na qual Deus lhe assegurava a vitória.Emocionados,os cavaleiros perdoaram-se mutuamente,e prometeram lutar até à morte.Eles levavam uma relíquia,supostamente um pedaço da verdadeira cruz de Cristo.Animados pela fé(1),partiram e perseguiram os mulçumanos batalhão por batalhão.Quando Saladino aprouximou-se,viu que seu grande exército havia sido massacrado.Não fosse a agilidade e fidelidade de sua guarda,o próprio Saladino haveria morrido ou caído prisioneiro.Mas conseguiu fugir dos cristãos.No local da vitória,foi erguido um mosteiro,e Balduíno mandou que fosse celebrada uma missa de ação de graças na Igreja do Santo Sepulcro.

Os últimos anos

Balduíno conseguira vencer os islamitas,mas não teve sucesso contra a luta que se travava no seu corpo.Foi consumido pela doença.Assim o descreve um cronista.
Do belo menino louro, que nove anos antes havia recebido com fausto a coroa, não restava senão um inválido, um ser decaído, repugnante. O belo rosto não era senão placas de carne marrom, fechando três quartas partes das órbitas, das quais todo olhar fugira para sempre, cortando-o do mundo, mergulhando-o numa noite eterna. Suas mãos elegantes estavam reduzidas ao estado de cotos. Seus dedos amortecidos haviam caído uns após outros, putrefatos. Seus pés haviam tido a mesma sorte e estavam como encolhidos pelo mais cruel dos torcionários chineses. Coberto de placas e bolhas, o resto do corpo não estava diferente para se ver. [...] Ao preço de esforços por vezes espantosos, ele continuava a assumir seu papel de rei. Jamais havia faltado a um combate, jamais fugido a uma responsabilidade”

Balduíno assinou uma trégua com Saladino,mas era difícil controlar seus súditos.O reino estava moralmente pútrido.Homens ímpios,que de cristãos só tinham o nome(destaque aqui para um nobre,Reynald de Châtillon),atacavam pacíficas caravanas mulçumanas.Regentes foram designados.Mas enquanto Balduíno viveu.nada pode fazer cair Jerusalém.


Morte

Balduino faleceu em março de 1185,aos 24 anos.Foi o último grande rei de Jerusalém.Foi elogiado até pelos mulçumanos.O próprio Saladino ficou de luto.Seu sucessor,o sobrinho Balduino V,faleceu aos 8 anos.O trono ficou com a irmã do rei leproso,a já citada Sibila.Sibila casou-se com o incompetente Guy de Lusignam.O exército de Guy foi massacrado por Saladino na batalha de Hattin.Em 1187,os árabes tomaram Jerusalém,e os cristãos só voltariam a dominá-la no século XX(e por um breve período de tempo).

Uma mensagem para os dias de hoje

O que a história de Balduino IV pode nos dizer nos dias de hoje? Muita coisa.Pode nos dizer,que com a ajuda de Cristo,o fraco se torna forte.Pode nos dizer,que mesmo nas piores situações,podemos fazer a obra que devemos.Seja como um rei,como um operário,como um clérigo,como um soldado...
A nefasta situação do reino no final do século XII,com nobres buscando apenas os próprios proveitos,sem se importar com o próximo,ou com a obra de Deus,é semelhante a que vivemos hoje em dia,não é?
Que esse artigo sirva em alguma coisa para você,caro leitor

notas
(1) Eu estou apenas citando o que ocorreu,Não acredito que relíquias tenham poder.A crença na eficácia de relíquias é uma crença católica romana,rejeitada por nós protestantes,por não ter base bíblica.



Balduino IV na ficção

Balduíno IV é o personagem principal do livro O Rei Leproso,de Zofia Kossak.O rei também é retratado no filme Cruzada(Kingdom of Heaven 2005)onde,apesar dos erros históricos,os autores conseguem passar sua personalidade nobre e seu sofrimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário