terça-feira, 17 de outubro de 2017

Inácio de Antioquia

Hoje é celebrada a memória de Inácio de Antioquia. Tendo vivido entre os séculos I e II,  foi bispo dessa importante cidade. Inácio combateu a heresia docetista, que negava a natureza humana de Cristo, foi o primeiro a utilizar o termo "Igreja católica" para se referir à universalidade da noiva do Cordeiro e registra que os cristãos se reuniam para o culto público aos domingos (o que contraria a tese de alguns que afirmam ser o culto da igreja primitiva realizado aos sábados). Conheceu os apóstolos Paulo e João. Foi martirizado no Coliseu, devorado por leões, por ordem do imperador Trajano. Restam-nos sete epístolas deste santo mártir: A Policarpo, aos Efésios, aos Esmirniotas, aos Filadélfos, aos Magnésios, aos Romanos e aos Trálios. Nesta cartas, ele demonstra profunda espiritualidade e cuidado pastoral. Abaixo, temos uma pequena seleção de trechos:

"Existe apenas um médico, carnal e espiritual, gerado e não gerado. Deus feito carne, Filho de Maria e Filho de Deus, vida verdadeira na morte, vida primeiro passível e agora impassível, Jesus Cristo nosso Senhor"( Carta aos Efésios)
"Aqueles que, para terem crédito, misturam Jesus Cristo consigo mesmos, são como aqueles que oferecem veneno mortal misturado com vinho melado. O incauto o toma com prazer, mas nesse prazer nefasto lhe dá a própria morte".(Carta aos Tralianos)
"Agradeço a Jesus Cristo, que vos tornou tão sábios. De fato, constatei que sois perfeitos na fé imutável, como que pregados na carne e no espírito à cruz de Jesus Cristo e confirmados no amor do seu sangue. Estais plenamente convencidos de que nosso Senhor é verdadeiramente da descendência de Davi segundo a carne, Filho de Deus segundo a vontade e o poder de Deus, nascido verdadeiramente da virgem, batizado por João, para que toda a justiça fosse cumprida por ele. Ele foi realmente pregado por nós em sua carne, sob Pôncio Pilatos e o tetrarca Herodes. È graças a esse fruto, à sua divina e feliz paixão que nós existimos, a fim de erguer para sempre um estandarte pela ressurreição para seus santos e fiéis, tanto judeus como pagãos, no corpo único da sua Igreja.
Ele sofreu tudo isso por nós, para que sejamos salvos. E ele sofreu realmente, assim como ressuscitou verdadeiramente. Não sofreu apenas na aparência, como dizem alguns incrédulos ."(Carta aos Esmirniotas)
          Inácio foi uma testemunha do Evangelho, que enfrentou corajosamente a morte por amor a Cristo, devendo seu exemplo de fé ser relembrado por nós do século XXI. Ele é considerado um dos "Pais da Igreja", pertencendo, juntamente com Clemente de Roma e Policarpo, ao subgrupo dos "Pais apostólicos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário