sábado, 20 de abril de 2013

A letra mata? Que letra?


Existe no meio evangélico uma grande propagação do ignorantismo(sistema dos que defendem a ignorância).Isto é especialmente verdadeiro entre os pentecostais de segunda e terceira onda.O conhecimento teológico e doutrinário,a ortodoxia,são desprezados.Apenas aquilo que se sente,aquilo que é subjetivo,aquilo que "faz bem",é levado em conta.Discussões teológicas(aliás,o saber teológico),são consideradas inúteis,pois a "letra"(o que para eles é sinônimo de conhecimento acadêmico,filosófico e teológico)mata,mas o "Espírito"(o que para eles é a parte subjetiva,os supostos dons e manifestações do Espírito Santo,o "reteté",etc.)vivifica(II Co 3.6).Mas,será que é realmente isso que o apóstolo Paulo quis dizer? Não,não e não! Na verdade,a Bíblia manda que busquemos o conhecimento,que façamos o uso da razão(Is 1.18).Pois,o homem,sendo imagem e semelhança de Deus,é dotado de intelecto.E nem toda manifestação que ocorre na igreja e que parece fazer bem provém de Deus.Muitas vezes provém da carne,da emoção,como tem sido provado por psicólogos e cientistas.Algumas vezes,do próprio Satanás,que,segundo as Escrituras,pode até mesmo se transfigurar em anjo de luz(II Co 11.14)!
A que se refere,então,a "letra" mencionada em II Co 3.6? Os versículos seguintes nos indicam:

"E se O MINISTÈRIO DA MORTE,GRAVADO COM LETRAS EM PEDRAS..."(II CO 3.7)

Eis a resposta! É a "letra" da lei mosaica,a letra revelada ao povo de Israel no monte Sinai,o pesado jugo da lei,que ordenava a punição de seus transgressores,e que fazia o pecado conhecido e ampliado.Ora,a lei é santa e boa,pois provém de Deus(Rm 7.7,12).Mas porque somos pecadores,para nós ela só trás morte e destruição(Rm 7.10).Sendo assim,a lei era o "Ministério da Morte".
E o Espírito mencionado em II Co 3.6? Refere-se ao Espírito da Nova Aliança,aliança baseada em fé,não em obras.Sendo nós justificados pela fé,redimidos pelo sangue precioso do Salvador,temos paz com Deus(Rm 5.1.Recomendo que você leia também II Co 3.4-18 para entender melhor o contraste entre o ministério da morte do AT e o ministério de liberdade e justiça do NT).
Agora que vemos que a questão da "letra e do Espírito" não tem nada a ver com o conhecimento acadêmico/teológico,vamos ver o que a Bíblia realmente diz sobre estes últimos:

II Pe 3.18: Cresendo na graça(Favor imerecido de Deus:As bençãos e dons espirituais,etc.) E NO CONHECIMENTO (Teologia e outras disciplinas que a auxiliam,como a Filosofia,a História,a Antropologia,etc.)
At 13.1:Havia na igreja profetas(Pessoas que falavam sobre inspiração direta do Espírito Santo mensagens de exortação e consolo,e em alguns casos previam em futuro.A comtemporaniedade deste ministério é muito discutida entre os evangélicos atuais) e MESTRES(ou doutores-pessoas cultas,esclarecidas nas Escrituras)
I Pe 3.15:Devemos estar prontos para responder à qualquer um que pedir a razão de nossa esperança.Para isso,devemos ter bom conhecimento bíblico,e o ideal seria,de outros assuntos também(caso a pessoa com quem estivéssemos conversando fosse,por exemplo,um ateu,ou outro que não cresse na Bíblia)

Em toda a Bíblia,o conhecimento e a sabedoria são muito valorizados.Muitos servos de Deus(como Salomão e Daniel),se destacaram graças à eles.Assim foi também em toda a história da Igreja,começando pelos pais,como o grande Agostinho,passando pela Idade Média(Anselmo,Tomás de Aquino,etc.),e pela Reforma(Lutero,por exemplo,era bacharel em Artes,mestre em Filosofia e doutor em Teologia)até os tempos atuais.Grandes teólogos,estudiosos,cientistas e artistas tem engrossado as fileiras das hostes celestiais,para glória do Senhor.Que possamos seguir o conselho bíblico,e crescer igualmente na graça e no conhecimento!
E,devemos lembrar,doutrina é importante sim,e faz,muita diferença! Se não fizesse,Jesus não teria mandado seus apostolos ensinarem TODAS as coisas que haviam aprendido(Mt 28.20).Que Deus nos ajude a guardar a sã doutrina,combatendo as heresias que se multiplicam a cada dia no seio da chamada "Igreja Cristã"!

Nenhum comentário:

Postar um comentário